DESTAQUES DO CONGRESSO EUROPEU DE CARDIOLOGIA – 2020 Estudo Brace Corona

DESTAQUES DO CONGRESSO EUROPEU DE CARDIOLOGIA – 2020 Estudo Brace Corona

O estudo brasileiro Brace Corona foi um dos grandes destaques do último dia do Congresso Europeu de Cardiologia realizado de forma virtual em setembro deste ano.

Liderado pelo Professor Renato Lopes, pesquisador brasileiro da Universidade de Duke (EUA), o trabalho avaliou o impacto da descontinuação dos inibidores da enzima de conversão da angiotensina (IECA) e dos bloqueadores do receptor de angiotensina II (BRA), nos resultados clínicos de pacientes hospitalizados por COVID-19 em suas apresentações leve e moderada.

Este foi um estudo clínico randomizado, multicêntrico, elaborado para responder à pergunta sobre se havia a possibilidade de evolução com desfechos de maior gravidade em pacientes que utilizavam medicamentos inibidores do SRAA e que tivessem sido internados com infecção pelo SARS-COv-2, já que o vírus utiliza-se do receptor de angiotensina 2, R-AG2, localizado principalmente na membrana plasmática do pneumócito para adentrar essa célula, o que gerou hipóteses que defenderam ser este fato um possível malefício para a evolução destes pacientes e que os mesmos deveriam ter estes medicamentos descontinuados, assim como de hipóteses contrárias de potencial benefício, devendo então ser mantidas.

Desta forma, a equipe do estudo Brace Corona avaliou 659 pacientes em 29 hospitais brasileiros, internados com o quadro de COVID-19. O estudo possuiu dois braços: um grupo suspendeu o tratamento com IECA ou BRA por trinta dias. O outro grupo manteve sem alterações o uso do IECA /BRA.

Durante o período de internação não houve diferença estatística significativa entre os dois grupos em relação à mortalidade, que foi de 2,8% para o grupo “suspensão”, e 2,7% para o grupo “manutenção”.

Adicionalmente, foi observado que, dentre os pacientes que receberam alta hospitalar ao fim dos trinta dias, aqueles que continuaram com o tratamento de inibição do sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA) apresentavam um estado clínico melhor.

Os IECA/BRA são importantes no tratamento da hipertensão arterial e insuficiência cardíaca e, segundo o referido estudo, que pela sua robustez e metodologia demonstrou que não houve diferença estatística nos desfechos clínicos entre as duas estratégias – descontinuação ou manutenção dos medicamentos que inibem o SRAA – pode-se concluir que não devemos suspender rotineiramente tais fármacos, nos casos de pacientes acometidos de quadros leves e moderados de COVID-19.

 Referência bibliográfica:

Lopes RD, Macedo AVS, de Barros E Silva PGM, et al. Continuing versus suspending angiotensinconverting enzyme inhibitors and angiotensin receptor blockers: Impact on adverse outcomes in hospitalized patients with severe acute respiratory syndrome coronavirus 2 (SARS-CoV-2)–The BRACE CORONA Trial. Am Heart J. 2020;226:49-59. doi:10.1016/j.ahj.2020.05.002

ACUMPUNTURA – LASER – INFRAVERMELHO PARA TRATAMENTO DA DTM

ACUMPUNTURA – LASER – INFRAVERMELHO PARA TRATAMENTO DA DTM

A Disfunção Temporomandibular é um comum termo coletivo que envolve um grande número de problemas clínicos que afetam os músculos mastigatórios, a articulação temporomandibular (ATM) e estruturas associadas. Dentre os principais sinais e sintomas, incluem-se dores nos músculos da mastigação ou na ATM, ruídos articulares, limitação de abertura, retração gengival, oclusão inadequada, distúrbios auditivos, cefaleias, sensibilidade em toda a musculatura do sistema estomatognático e cervical.

A ATM constitui a única articulação dupla bilateral, liga-se à base craniana, constituindo a parte terminal do osso mandibular, e está intimamente relacionada com a base do crânio, através da cabeça do côndilo, e ao osso temporal.

Clinicamente, realiza-se o exame apalpando a área, ao mesmo tempo, nos dois lados, logo à frente ao tragus no pavilhão auricular no deslocamento de abertura ou fechamento da boca.

Os sinais e sintomas determinantes para o tratamento ocorrem em consequência à disfunção (DTM) e geram uma cefaleia crônica, ou seja, a enxaqueca clássica e comum.

Geralmente são percebidas unilateralmente:

  • Dor na musculatura da face, dificultando a mastigação de alimentos com mais fibras.
  • Dor cervical e nos ombros, gerando pontos-gatilhos na musculatura ao redor das escápulas com dor aguda na palpação.
  • Luxação e subluxação mandibular, limitando a abertura da boca e gerando um Trismo Mandibular.
  • Alterações posturais e nos movimentos de rotação do côndilo na glenoide e desoclusão em lateralidade.
  • Otalgia, vertigem e zumbido.

 

No entanto, o laser vem interagindo no alívio para que o deslocamento anteroposterior da mandíbula seja sem dor ou tensão, geradas por apertamento e bruxismo.

Na artropatia temporomandibular, vem apresentando uma evolução na recuperação dos deslocamentos com mínima dor e acreditamos que, também, acelere a recuperação e remodelação dos tecidos.

 INDICADO PARA:

– Dor física aguda e crônica, artrite, reumatismo, osteoporose, ciática, anquilosante, enxaqueca, lesões esportivas, dores nas articulações, dor nas costas, fibromialgia – é uma fusão da biotecnologia moderna, sem perfurar a pele para fazer a acupuntura, uma operação simples e eficaz, sem efeitos colaterais.

A radiação laser de baixa potência tem sido cada vez mais empregada nas condutas de reabilitação dos DTM. Esta tem sido empregada como um agente biomodulador capaz de promover efeitos analgésicos e anti-inflamatórios por meio de induções de respostas celulares e sistêmicas. O sucesso do tratamento de patologias com o laser na região maxilo-facial tem sido demonstrado, e seu uso ocorre em razão dos efeitos analgésicos explicados pelo aumento dos níveis de beta-endorfinas, aumento do limiar de descarga de dor, diminuição de bradicinina e liberação de histamina, aumento do fluxo linfático, diminuição do edema e substâncias álgicas, aumento do fornecimento do sangue, redução do tempo de inflamação e promoção do relaxamento muscular.

Usamos também para aliviar dores através do bloqueio de sinais de dor e como uso estético para o estímulo de músculos faciais e corporais a fim de enrijecer e tonificar a pele.

O laser proporciona um aumento na pequena circulação sanguínea local, na síntese de colágeno, na circulação linfática e na proliferação de células epiteliais e fibroblastos. Desta forma, sua aplicação tem ação anti-inflamatória, analgésica e trófica regenerativa.

OUTROS EFEITOS DO LASER SÃO:

  • Aumento da permeabilidade das membranas celulares
  • Promoção do tecido de granulação
  • Aumento dos níveis de prostaglandinas

Pelas suas propriedades terapêuticas, a laserterapia pode ser utilizada pela fisioterapia, estética e dermatologia. Suas indicações clínicas incluem:

  • Cicatrização de feridas cirúrgicas, traumáticas ou vasculares
  • Processos degenerativos e inflamatórios
  • Controle do envelhecimento cutâneo e rugas
  • Tratamento de condições artríticas
  • Recanalização de vasos linfáticos
  • Dissolução de gorduras
  • Tratamento de edemas periarticulares
  • Tratamento de acne
  • Tratamento de alopecia
  • Tratamento de lesões nervosas periféricas

Nas artropatias de origem infecciosa o tratamento tem apresentado uma melhora a cada seção de aplicação do laser com infravermelho.

  1. Infecciosa, significa que a pessoa desenvolveu um mau funcionamento articular devido a uma infecção, por exemplo, de ouvido, que provocou danos nos componentes da ATM.
  2. Traumática (microtrauma de repetição) por mau funcionamento articular dentário oclusal; lesões na estrutura da ATM provocada por um traumatismo direto (pancadas na mandíbula); ou indireto (deslocamentos bruscos da mandíbula como ocorre em acidentes de carro).

Portanto, para tratar uma disfunção da ATM é preciso pensar primeiro em identificar a causa responsável pela disfunção e estabilizar a função, devolvendo tônus muscular de repouso. De nada adianta tentar tratar uma artropatia infecciosa apenas com placas miorrelaxadoras, uma neoplásica com fisioterapia e exercícios, ou uma DTM com infiltrações, porque não haverá resultado satisfatório. Para cada diagnóstico existe uma forma apropriada de abordagem e tratamento.

Rua Dr. Thibau nº 80 sala 807 Centro Empresarial Vianense, centro da Cidade de Nova Iguaçu.
Consultas pelo telefone, ligando para: (21) 26672295. (21) 964965303.
Karine Cassano e Jurandir Lima Filho – CIR. DENTISTAS– REABILITAÇÃO JK- IMPLANTODONTISTAS­­­-

APRENDA PERIODIZAÇÃO DE TREINO E ALCANCE SEUS RESULTADOS

APRENDA PERIODIZAÇÃO DE TREINO E ALCANCE SEUS RESULTADOS

A periodização nada mais é do que a organização dos treinos com base no calendário, visando alcançar o objetivo final da pessoa. Ou seja, é criar metas menores que ao serem atingidas irão ao encontro do objetivo final. As periodizações de treino normalmente são feitas em três partes: microciclos (períodos de dias até semanas), mesociclos (períodos de semanas até meses) e macrociclos (períodos de meses a anos). Esta divisão tem como principal objetivo evitar a estagnação no desenvolvimento através da adaptação natural que o organismo faz aos treinamentos, por isto alternam-se os estímulos de treino, fazendo com que o praticante alcance o ápice da forma física no momento certo.

Muitas pessoas pensam que periodizar é trocar de aparelhos ou de exercícios, periodizar um treinamento é na verdade trocar os estímulos, criando rotinas em ciclos que impedem que o corpo “se acostume” com o treinamento e continue se desenvolvendo. Aumentar os pesos dos exercícios é apenas uma das várias formas de mudança de estímulo. Se você fizer um treinamento a médio/longo prazo baseado apenas no aumento de carga, com certeza o corpo irá entrar em estágio de estagnação, o que aumenta as chances de lesões e do overtraining (esgotamento causado pelo excesso de treino); assim, o objetivo a ser alcançado vai ficando mais distante e as chances de se machucar treinando aumentam.

Umas das grandes evoluções, e talvez o maior diferencial da espécie humana, é a sua capacidade de adaptação. Para tal existe a periodização de treino, a fim de introduzir estímulos e até mesmo colocar períodos de descanso no meio de um processo de treino.

Seguem alguns exemplos para intercalar estímulos dentro de um período de treinamento: exercícios diferentes, exercícios mais pesado ou mais leves, aumentar ou diminuir números repetições, fazer combinações de exercícios que não são executados convencionalmente, inserir dias/semanas de repouso absoluto etc. Estes são apenas alguns dentro de um plano de periodização, fazendo com que o praticante ofereça ao corpo estímulos novos, o que o forçará sempre a uma nova adaptação. E quando percebemos que os estímulos novos já foram assimilados, fazemos novas mudanças para que o corpo busque uma nova adaptação, e assim por diante.

Para ilustrar vou dar alguns exemplos de como funciona na prática a periodização na vida de atletas de alguns esportes. Um atleta olímpico faz sua periodização para 4 anos, o que eles chamam de “ciclo olímpico”, o qual consiste em um macrociclo de 4 anos – mesociclos de 1 ano – microciclos de meses. Um jogador de futebol faz sua periodização para 01 ano, período que dura cada temporada no futebol – um macrociclo de 1 ano – mesociclos de meses – microciclos de semanas. Já um lutador de UFC faz sua periodização por volta de 3 a 6 meses, período de uma luta até uma outra – um macrociclo de 6 meses – mesociclos de 1 a 2 semanas – microciclos de 5 a 8 dias. Estes são alguns exemplos apenas para ilustrar, pois cada atleta faz a divisão de acordo com o seu planejamento, não existe uma regra fixa.

Trazendo a periodização para nosso dia a dia. Uma pessoa normal que não seja atleta e que busca emagrecimento, por exemplo. O ideal é que ela periodize sua rotina de treino junto com uma rotina alimentar adequada para cada fase do treinamento. Exemplo: se uma pessoa está numa fase que está treinando pesado com altas cargas de peso, ênfase na musculação, sua alimentação deve estar bastante sortida de nutrientes para que ela consiga ter energia para executar todo o treinamento; nesta fase o foco não será diminuir peso na balança, pois a ingestão calórica é relativamente alta. Já quando se trocar o estímulo e o treino passar a ser mais tranquilo na musculação e ter uma ênfase maior em exercícios leves, com características aeróbicas, é interessante neste momento a diminuição da ingestão calórica na alimentação. Pois como o treino estará mais tranquilo, a baixa de calorias não irá interferir nos treinamentos, e a pessoa conseguirá executar todo o treino.

Então, para criar uma periodização ideal para você, procure um profissional de educação física a fim de traçar o melhor caminho para você alcançar seus resultados.

RESSECÇÃO CIRÚRGICA

RESSECÇÃO CIRÚRGICA

É o termo médico utilizado para remover cirurgicamente parte de um tecido, estrutura ou órgão. Os tumores musculoesqueléticos podem ser tratados de diversas formas e a ressecção cirúrgica com margem ampla está indicada para os malignos ou benignos e agressivos com grandes chances de recidiva local como foi este caso.

Paciente de 59 anos que iniciou dor no polegar esquerdo meses antes de chegar ao Consultório.

A radiografia pré-operatória demonstrou lesão lítica com invasão da cortical óssea e acometimento de partes moles.

A ressonância magnética foi utilizada como exame complementar para planejamento operatório e a indicação foi de ressecção ampla do tumor, evitando, assim, a amputação. Após a ressecção com margens, o defeito foi preenchido com enxerto ósseo do olecrano do paciente e fixado com 2 fios, mantendo o comprimento do dedo. O paciente segue em acompanhamento pós-operatório, com consulta e imagens, e após a retirada dos fios fará fisioterapia para melhor mobilidade do dedo.

OUTUBRO ROSA: A PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA É CONSTRUÍDA DE ATITUDES DIÁRIAS

OUTUBRO ROSA: A PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA É CONSTRUÍDA DE ATITUDES DIÁRIAS

Chegamos em outubro, o mês em que temos a mais conhecida campanha de prevenção de câncer: Outubro Rosa. A campanha foi criada no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e é celebrada anualmente com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença. Além disto, a campanha visa também proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, contribuindo para a redução da mortalidade. Por isto, este mês vamos tratar sobre o câncer de mama neste espaço.

O câncer de mama é o tipo de tumor que mais acomete as mulheres brasileiras, excluídos os tumores de pele não melanoma. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são esperados 66.280 novos casos da doença no nosso país, ao longo de 2020. Apesar de raro, o câncer de mama também acomete homens, representando apenas 1% do total de casos da doença.

Esta é uma enfermidade causada pela multiplicação desordenada de células da mama, que gera células anormais, as quais, ao se multiplicarem, formam um tumor. Existem vários tipos de câncer de mama, o que faz com que a doença possa se desenvolver de formas diferentes em cada organismo. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Estes comportamentos distintos se devem a características próprias de cada tumor.

Um dado muito importante de ser falado quando tratamos de câncer de mama é que: O tumor, quando diagnosticado precocemente, em estágio inicial e com menos de 1 centímetro, tem 95% de chance de remissão. Trazer esta informação é de extrema relevância, pois o câncer de mama consegue ser rastreado e descoberto de forma precoce através de um exame periódico: a mamografia. Este exame é uma radiografia das mamas feita por um equipamento de raios X chamado mamógrafo, capaz de identificar alterações suspeitas de câncer antes do surgimento dos sintomas, ou seja, antes que seja palpada qualquer alteração nas mamas. A Sociedade Brasileira de Mastologia orienta que mulheres, a partir dos 40 anos, façam anualmente a mamografia.

Mulheres mais jovens, que não tenham indícios de risco elevado de câncer de mama, não são aconselhadas a fazer mamografia, pois nessa idade as mamas são mais densas, o que pode fazer com que o exame apresente muitos resultados incorretos. Porém, independente da idade, é importante incentivar as mulheres a conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. Sintomas como: nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor, pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja, alterações no mamilo, pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço e saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos devem ser sinais de atenção para as mulheres, que logo devem procurar os serviços de saúde para avaliação diagnóstica. A postura atenta das mulheres em relação à saúde das mamas é fundamental para a detecção precoce do câncer da mama.

Existem alguns fatores de risco que fazem com que o câncer de mama tenha maior possibilidade de desenvolvimento. A idade é um dos principais, visto que cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem em mulheres com mais de 50 anos. Além deles, outros fatores também devem ser observados: a obesidade e sobrepeso após a menopausa, primeira menstruação antes de 12 anos, menopausa após os 55 anos, uso de contraceptivos hormonais, ter feito reposição hormonal pós-menopausa e ter histórico familiar de câncer de mama ou/e ovário.

Um nódulo ou outro sintoma suspeito nas mamas deve ser investigado para confirmar se é ou não câncer de mama. Para a investigação, além do exame clínico das mamas, exames de imagem podem ser recomendados, como mamografia, ultrassonografia ou ressonância magnética. A confirmação diagnóstica só é feita, porém, por meio da biópsia, técnica que consiste na retirada de um fragmento do nódulo ou da lesão suspeita por meio de punções (extração por agulha) ou de uma pequena cirurgia. O material retirado é analisado pelo patologista para a definição do diagnóstico.

Uma vez diagnosticado, o tratamento do câncer de mama depende da fase em que a doença se encontra (estadiamento) e do tipo do tumor. Pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica (terapia alvo). Muitos avanços vêm ocorrendo no tratamento do câncer de mama nas últimas décadas. Na comunidade científica, hoje, já existe mais conhecimento sobre as variadas formas de apresentação da doença e diversas terapêuticas estão disponíveis.

Uma pesquisa de 2019, divulgada na Revista Cancer Epidemiology e realizada em parceria pelas Universidades de São Paulo (USP) e de Harvard (EUA), calcula que cerca de 30% dos casos de câncer no Brasil poderiam ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, como não fumar e praticar atividades físicas. Nestes números, inclui-se também o câncer de mama.

Por isto, é importante ressaltar que manter uma dieta equilibrada baseada em uma alimentação rica em legumes, frutas, vegetais, grãos e com baixo consumo de sal, açúcar e alimentos ultraprocessados é de extrema importância na prevenção do câncer de mama. Alinhar esta nutrição adequada com exercícios físicos regulares diminui ainda mais o desenvolvimento do câncer de mama, pois a atividade física promove o equilíbrio dos níveis de hormônios, reduz o tempo de trânsito gastrointestinal, fortalece as defesas do corpo e ajuda a manter o peso corporal adequado.

Mulheres, neste outubro rosa busquem manter uma rotina saudável, evitando hábitos como o tabagismo ou o consumo excessivo de álcool, permanecendo próximas dos seus médicos e não se esquecendo dos exames periódicos. A prevenção do câncer de mama não deve ser feita apenas em outubro, mas sim todos os dias em pequenas atitudes na vida de vocês.

OUTUBRO: PANDEMIA (INFELIZMENTE CONTINUA) AMNI: 65º ANO DE HISTÓRIA E DIA DO MÉDICO

Mais uma edição chegando, ano acabando….

Vocês já pararam para pensar que daqui há aproximadamente 75 dias 2020 estará findado???

Que ano foi este?

Quanta estupidez?

Quanto egoísmo?

Em que tipo de seres humanos estamos nos transformando?

O que será de nossos filhos, netos????

Sim, a Pandemia continua!!!

Sim, ainda estamos perdendo amigos, parentes, vizinhos….

Sim, a contaminação continua e está alta…

Mas para alguns: é a doença dos fracos, simples resfriado, totalmente assintomático…

A maioria achou que realmente íamos evoluir para melhor.

Porém, eu ainda acho que não!

Temos muito que aprender!

O nosso egoísmo mata de muitas maneiras.

E realmente só vamos levar a sério e mudar a nossa conduta quando perdermos algum ente querido…

Enquanto isto não ocorrer, levaremos a vida normal, como se nada estivesse acontecendo!!!

Voltando ao mês de outubro, que é o mês de nossa Casa, quando estamos celebrando o 65º ano de existência e de uma bela história.

E fica cada vez mais difícil encontrar palavras para descrever esta bela trajetória, que começou há 65 anos atrás, e agora, luta para sobreviver, nestes momentos difíceis, pelo qual todos estamos passando e sofrendo.

No dia 18 de outubro, vamos celebrar: o Dia do Médico, a saga deste profissional que faz parte da linha de frente nesta época de pandemia; e também temos a posse de nossa Diretoria para o Triênio 2020/2023. A seguir apresentamos uma bela homenagem, que narra parte de nossa história, abrangendo os primeiros 50 anos da AMNI, a qual foi elaborada pela Dr.ª Sônia Regina Reis Zimbaro, nossa Ex-Presidente, do Triênio 2002/2005, e sua grande equipe…

E que este mês de outubro nos traga muita paz e muita luz!!

 

E agora vamos ao breve resumo histórico dos primeiros 50 anos da AMNI:

“UM SONHO QUE VIROU REALIDADE”

Aos quinze dias do mês de outubro de 1955, às treze horas no Aero Club de Nova Iguaçu, foi fundada a Associação Médica de Nova Iguaçu, sendo representada por uma comissão formada pelos Drs. Affonso Fatorelli, Atila Câmara, Glaucus Cajaty, Jair Nogueira, Jose dos Campos Manhães, Mauro Arruda, Nelson Balesdent e o doutorando Pedro Arume, sendo a fundação comemorada com um churrasco no próprio local.

Foi escolhida como primeira sede uma sala na Av. Marechal Floriano Peixoto, 2170.

Em 09 de Junho de 1956, foi criado o seu 1º ESTATUTO. Em setembro daquele mesmo ano ocorreu a primeira eleição para a Diretoria da Associação Médica de Nova Iguaçu, sendo eleito o Dr. Afonso Fatorelli para seu Presidente.

Em 1957, a AMNI firmou convênio com a Associação Médica Fluminense, hoje a atual Sociedade Médica do Estado do Rio de Janeiro (SOMERJ). Em Julho de 1957, no Hospital de Caridade Iguaçu aconteceu o 1º ENCONTRO DE CIRURGIÕES DE NOVA IGUAÇU.

Em 1963 (sob a gestão do Dr. Tharcisio Roberto Coutinho), a Associação Médica passou a SECCIONAL REGIONAL, abrangendo os municípios de Nilópolis, São João de Meriti, Paracambi, Caxias, Itaguaí e Mangaratiba.

Em 1963, foi criado o 1º Departamento Cultural na responsabilidade dos Doutores Edson Mattos e Adilson Tavares.

Em 1964 (sob a presidência do Jayr Nogueira), aconteceu a 1ª Jornada Médica de Nova Iguaçu e o 1º Boletim Informativo.

Em 1965 (sob a gestão do Dr. Edison Mattos), foi criado o Boletim informativo e o novo emblema da Associação.

Em 1966 (sob a presidência do Dr. Francisco Rodrigues Parente), a AMNI se fez presente na Diretoria da Associação Médica Fluminense, mostrando já a grande influência que a mesma tinha com a política médica do nosso Estado.

Em 1966, aconteceu a 1ª Reforma Do Estatuto.

Em junho de 1967, a Prefeitura Municipal de Nova Iguaçu fez a Doação de um Terreno situado à Rua Professora Venina Correa Torres, através da resolução 2002/67, publicada no Correio da Lavoura, sendo reconhecida como de Utilidade Pública.

Naquele ano (1967) a Associação Médica sedia o V Congresso Médico Fluminense.

Devido à perda da sede as reuniões eram realizadas na residência dos integrantes da diretoria, em sistema de rodízio, mostrando a vontade de continuar.

Mudança da sede da Associação Médica para uma sala na Travessa Rosinda Martins, 71. As diretorias foram se sucedendo com o mesmo espírito de luta pela classe médica, fazendo-se representar em reuniões associativas e assembleias por melhores condições de trabalho e remuneração.

Mas a Associação não vivia só de envolvimentos políticos, havia também festas (juninas, natalinas e passeios) congregando a Família Médica.

Em 1971, na gestão de Armando Augusto Almeida, houve a Criação do Sindicato de Nova Iguaçu e da UNIMED de Nova Iguaçu.

Em janeiro de 1974, na gestão do Dr. Donaldo Peloso, foi publicado o primeiro exemplar da Família Médica (jornal informativo da Associação – permanecendo até 1979, quando surgiu “O ESTETO”).

Em 1975, foi construída e inaugurada a Sede da AMNI, onde funciona até hoje.

Naquele mesmo ano (1975) houve a mudança do Estatuto (09/05/1975) e Criação do Símbolo da AMNI.

A valorização do trabalho médico encontrava-se em luta permanente e aconteceram várias reuniões, visando o aumento do valor das consultas e procedimentos médicos, com apoio da então Sociedade Médica do Estado do Rio de Janeiro.

Em 1991, na gestão do Dr. Carlos Alberto Pereira de Moura, foi criada a Seccional Regional Baixada Fluminense do CREMERJ, estando como Presidente o Dr. Elias Feld.

Também em 1991 a Associação Médica sediou a posse do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Em 1994, sob a gestão do Dr. Clanir Rosa Marques, aconteceu o 1º Congresso da AMNI.

Em 1996, o Dr. João de Souza Gaspar realizou o 2º Congresso Médico.

As contribuições associativas não eram suficientes para manter as despesas administrativas, sendo necessária a remodelação do nosso auditório a fim de podermos competir com outros salões. Em 1995, iniciou-se a reforma do auditório na gestão do Dr. Jefferson Martino, sendo inaugurado pelo Dr. Sylvio Adão Tosta Essinger posteriormente.

Durante sua gestão, o Dr. Jefferson Martino realizou várias reuniões com a Secretaria de Fazenda do Município com o objetivo de diminuir os valores dos tributos cobrados aos médicos e Casas de Saúde.

Em 1999, aconteceu o 3º Congresso Médico no SESC de Nova Iguaçu, contando com cerca de 500 participantes e mudando o perfil cultural da nossa Associação.

Durante 50 anos aconteceram vários eventos culturais, sociais, políticos sempre visando a divulgação e a união associativa.

Durante todos aqueles anos o Jornal “O Esteto” passou por várias modificações, levando aos seus associados diferentes informações. Mas em 2001 o Dr. Paulo Roberto Pereira de Sant’ana resolveu desafiar e lançou o primeiro número colorido em forma de Revista, que se mantém até hoje.

Em 2002, seguindo o Estatuto da Associação, o Dr. Paulo Santana ofertou o Primeiro Título de Sócio Remido a 26 associados numa maravilhosa festa de emoção e confraternização, hoje (2002) já incluído no calendário social.

Em 2002, aconteceu a nova reforma do Estatuto.

Em 2002, ainda, Nova Iguaçu recebeu o 1º Congresso da Baixada Fluminense realizado pela Sociedade Médica de Nova Iguaçu, Sociedade Médica de Duque de Caxias (hoje Associação Médica de Duque de Caxias) e a Associação Médica de São João de Meriti (Dra. Sonia Zimbaro).

Com o crescimento da nossa representatividade junto às Sociedades de especialidades, hoje (2002) a Associação Médica conta com 4 seccionais e um grupo de estudos instalados em nossa sede:

  • Seccional de Pediatria da Sociedade de Pediatria do Rio de janeiro
  • Seccional de Cardiologia da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro
  • Seccional de Gineco-Obstetrícia da Sociedade de Gineco-Obstetrícia do Estado do Rio de Janeiro
  • Seccional de Alzheimer da Sociedade de Alzheimer do Rio de Janeiro
  • Grupo Fígado

A Associação Médica também se fez representar em vários outros seguimentos políticos:

  • Conselho Municipal de Saúde de Nova Iguaçu
  • Vice-Presidente da Baixada na Sociedade Médica do Estado do Rio de Janeiro (Dr. Jefferson Martino, Dr. Jose Estevam da Silva Filho e Dr Sonia Zimbaro)
  • Representante CREMERJ na Seccional Baixada – Dr. Elias Feld, Dr. Adilson Tavares e Dr. Jose Estevam da Silva Filho

 

Mas nem tudo é alegria… Em 07 de setembro de 2002, a Associação Médica de Nova Iguaçu foi surpreendida por um vendaval que levou à destruição parcial da sua sede.

A nova Diretoria (ainda não empossada), sob a presidência da Dr.ª Sonia Regina Reis Zimbaro, se viu à frente de um grande desafio.

Com a união de seus associados, a colaboração e parceria com outras entidades, como a UNIMED NI, UNICRED NI e principalmente a SOMERJ, a AMNI conseguiu reerguer o sonho iniciado em 1955 por aqueles colegas que com toda a dificuldade do momento não se intimidaram.

Em março de 2003, pela passagem do Dia Internacional da Mulher, aconteceu o primeiro evento daquela gestão, estando hoje no calendário sociocultural da entidade.

Em 2004, a AMNI sediou as eleições para o CREMERJ (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) e CFM (Conselho Federal de Medicina).

2004 – Realização, junto com a Sociedade Médica de Duque de Caxias e Sociedade Médica de São João de Meriti, do 2º Congresso da Baixada Fluminense em Duque de Caxias.

Reuniões junto à Secretaria de Fazenda de Nova Iguaçu para diminuição dos tributos cobrados aos médicos de Nova Iguaçu e a posse definitiva do nosso terreno sem restrições que impeçam a sua evolução. As negociações foram infelizmente interrompidas devido às eleições municipais.

Inauguração da galeria dos Ex-Presidentes em 2004.

Em 2004 ainda, aconteceu uma nova reforma do estatuto para se adequar às exigências do novo Código Civil.

Em 2005, a Associação sediou a eleição para a AMB e SOMERJ.

Nos dias 17, 18 e 19 de outubro de 2005, realizou também a XXXVI Jornada Médica.

Em 18 de outubro de 2005, inaugurou-se a Placa Comemorativa dos 50 anos da Associação.

Ao completar seu quinquagésimo aniversário, a diretoria 2003/2005 presta singela homenagem, pedindo desculpas se omitiu algum fato que (os associados) julgaram importante.

Diretoria AMNI – Triênio 2002/2005

Presidente: Dr.ª Sonia Regina Reis Zimbaro; Vice-Presidente: Dr. Luiz Claudio Mota; Primeiro Secretário: Dr. Marcus Vinicius L. Fagundes; Segundo Secretário: Dr.ª Taisa Miksuca; Primeiro Tesoureiro: Dr. Alan Jose Soares Bastos; Segundo Tesoureiro: Dr. Carlos Alberto Lugarinho; Diretor Cultural: Dr. Marcio Luiz Cunha Filho; Diretor Social: Dr.ª Marise Businaro Fernandes.

“Aí estão, prezados associados, os atos mais importantes realizados nestes 50 anos. É verdade que são poucos, ou mesmo muito poucos, contudo não foi fácil executá-los, pois, só quem lida ou lidou com uma entidade de tal envergadura pode bem avaliar das dificuldades a vencer, que se antolham a cada momento: deficiências de prática, de pessoal, financeiras, de tempo etc.

Assim sendo, pedimos indulgência para o muito que deixamos de realizar e fazemos votos de que a futura Diretoria consiga muito maior número de realizações”

Dr. Affonso Fatorelli (1955-2005)

(in memorian)”

Este mês a revista, mais uma vez, está com muitas matérias interessantes, muito diversificada e só temos que agradecer aos nossos colunistas, aqueles que dão vida a nossa revista, que é feita com muito carinho para todos vocês.

Assim, amigos e leitores, para que possamos continuar a existir e a progredir sempre, ajude-nos a cumprir a nossa NOBRE MISSÃO! Faça parte do nosso projeto de trabalho e de vida. PENSE SEMPRE POSITIVO, IMAGINE SEMPRE O MELHOR PARA TODOS!

Agora, curta e leia todas as colunas e matérias, pois elas são elaboradas pensando em você e no bem de todos nós.

Críticas, elogios, dúvidas, matérias e mensagens para nossos colunistas – Enviar para: marco.assomedni@gmail.com

Não esqueça, acesse e curta a nossa página no Facebook: “Associação Médica de Nova Iguaçu”.

Viva a AMNI!!

E, JUNTOS, superaremos o coronavírus. Boa sorte a todos!

 

AMNI

ADMINISTRAÇÃO

“A CASA DO MÉDICO PARA O MÉDICO.”

NOTA DE FALECIMENTO

Há aproximadamente 02 anos, no dia 19 de outubro de 2018, no Salão do NICC, na festa de Celebração do Dia do Médico e no aniversário de 63 anos da AMNI, recebia como homenageada, o prêmio, “Médica do Ano 2018”, a Dr.ª Maria das Graças Basílio Rios.
E hoje, dia 08 de outubro, com imenso pesar, informamos o falecimento, desta grande médica, pneumologista, amiga e professora de vários jovens médicos.
A Dr.ª Maria das Graças Basílio Rios, se dedicou, cada instante de sua vida à cuidar com carinho e com extrema dedicação a todos os seus pacientes.
Os nossos mais sinceros sentimento e força para toda a família, amigos e pacientes.

Diretoria
AMNI
Triênio 2020/2023

INFORMAÇÕES SOBRE A DESPEDIDA / ENTERRO:
Será realizado hoje, 08/10/2020, no Jardim da Saudade em Mesquita/RJ, às 15:30 e terá 02 horas de velório, para as despedidas e homenagens.

ELEIÇÃO AMNI 2020, PRORROGADO:

Só para lembrá-lo e é apenas para os Médicos Associados AMNI:

A INSCRIÇÃO PARA PARTICIPAR DE NOSSA ELEIÇÃO, TRIÊNIO 2020/2023, FOI PRORROGADO PARA SEXTA, 28/08, E HORÁRIO FINAL DE INSCRIÇÃO SERÁ ATÉ ÀS 18:00.
CONTAMOS COM A SUA PARTICIPAÇÃO.

ELEIÇÕES AMNI 2020:

Você tem até AMANHÃ, dia 28 de agosto de 2020, até às 18:00h, para se inscrever, e deve, para confirmar a sua inscrição, enviar um email para: assomedni.eleicoes2020@gmail.com, e no Assunto colocar “Eleição Triênio 2020/2023” e no corpo do email: digite seu email e seu nome.

Participe, contamos com o seu apoio.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

A Diretoria da Associação Médica de Nova Iguaçu vem, de acordo com a letra b do artigo 25º de seu Estatuto Geral, convocar seus associados para a realização de Assembleia Geral Ordinária, no dia 31 de agosto de 2020, no horário de 08:30 às 17:00h, que será online, com a seguinte pauta:

  • Eleições para a nova Diretoria da Associação Médica de Nova Iguaçu para o período 2020/2023.
  • Eleições para os Delegados e Diretoria da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (SOMERJ) e Associação Médica Brasileira (AMB), sendo que as próprias entidades (SOMERJ e AMB) cuidarão de suas próprias eleições e todas também serão digitais.

As eleições e apurações serão organizadas e dirigidas pela Comissão Eleitoral da AMNI, assegurando-se em todos os níveis e momentos a participação de fiscais ou representantes legais das chapas concorrentes.

Será permitido o pagamento do débito de associados não quites até o dia da votação. O pedido de registro de chapas para a Diretoria deve ser feito na Secretaria da Associação Médica de Nova Iguaçu até 72 horas antes da data fixada para o pleito, sendo o registro das chapas solicitado por sócios efetivos em pleno gozo de seus direitos.

Considerando o grave momento de pandemia por que passa o País, a nossa eleição da nova Diretoria da AMNI será online (de forma digital). E o método escolhido por nossa Casa foi o Google Forms, que é um aplicativo de gerenciamento de pesquisas lançado pelo Google, muito seguro e eficaz.

Todos os Associados em dia e aptos a votar em nossa eleição têm até o dia 27 de agosto de 2020, até às 17:00h, para se inscreverem, e devem, para confirmar a sua inscrição, enviar um email para: assomedni.eleicoes2020@gmail.com, e no Assunto colocar “Eleição Triênio 2020/2023” e no corpo do email: digite seu email e seu nome.

No dia 28 de agosto de 2020, cada associado apto receberá o link de votação, via Email e via Whatsapp (se não receber o link entre em contato com a AMNI).

No dia 31 de agosto de 2020, a partir das 08:30 até às 17:00h, será o horário da votação de nossa Assembléia Geral Ordinária. E, a partir das 19:00h do mesmo dia, será informado, via Email, via Whatsapp e nas nossas redes sociais o resultado da mesma.

 Então a nossa Assembléia Geral será digital (online) e deverá começar às 08 horas e 30 minutos.  Contamos com a participação dos nossos associados em pleno gozo dos seus direitos. E contamos também com a sua participação, visando prestigiar a nossa Casa e mantê-la viva e unida.

  Nova Iguaçu, 10 de agosto de 2020

 Dr. José Roberto Pinto Barbosa

Presidente da AMNI
2017/2020

 

ELEIÇÕES AMNI 2020

ELEIÇÕES AMNI 2020

O dia 31 de agosto está chegando e neste dia teremos a nossa eleição referente ao Triênio 2020/2023.

Você tem até o dia 27 de agosto de 2020, até às 17:00h, para se inscrever, e deve, para confirmar a sua inscrição, enviar um email para: assomedni.eleicoes2020@gmail.com, e no Assunto colocar “Eleição Triênio 2020/2023” e no corpo do email: digite seu email e seu nome.

E no dia 28 de agosto de 2020, você receberá o link de votação, via Email e via Whatsapp (se não receber o link entre em contato com a AMNI).

O número de nossa lista de transmissão no Whatsapp é +5521975173101. Se você não receber nenhuma mensagem nossa, mande mensagem para o nosso número a fim de que possamos adicioná-lo em nossa lista, a fim de que participe de nossas eleições.

Solicitamos ainda que atualizem os seus números de celulares e também enviem mensagem para o nosso e-mail para que possamos atualizar os seus dados de contato: marco.assomedni@gmail.com. E assim você terá acesso a mais informações.

Participe das ações de sua Casa, pois a sua presença é muito importante. A AMNI existe para você e por você!

Para maiores informações entre em contato conosco.

VENDE-SE OU ALUGA-SE:

  • 04 Salas – 110m²
  • Muito bem localizado: Edifício Centro Médico
  • Rua Cel. Bernardino de Melo, 1399 (Ao lado do Hospital Nossa Senhora de Fátima).
  • Para maiores informações: (21) 97517-3101

NOTA DE FALECIMENTO: Dr. HILDOBERTO CARNEIRO DE OLIVEIRA

Com grande pesar, informamos, o falecimento do nosso Vice-presidente, Médico Ginecologista e Professor, Dr. HILDOBERTO CARNEIRO DE OLIVEIRA, em decorrência de COVID-19. O nosso querido Dr. Hildoberto também era Membro titular da Academia Nacional de Medicina, cadeira 77.

Os nossos mais sinceros pêsames, sentimentos e força para a família, amigos, entes queridos e todos que torciam por sua recuperação.

Agradecemos por tudo que fez e lutou por esta casa!

Uma salva de Palmas e que Deus ilumine o seu caminho para a luz eterna.

Att,

 

Dr José Roberto Pinto Barbosa
Presidente
AMNI
TRIENIO 2017/2020

A IMPORTÂNCIA DO REGISTRO DA MARCA

A IMPORTÂNCIA DO REGISTRO DA MARCA

Se você possui um negócio, seus produtos e serviços provavelmente contam com uma marca e é por meio dela que sua empresa se diferencia no mercado e é ela a responsável pela associação que o consumidor faz com as características do seu produto/serviço.

“Uma marca registrada (símbolos ®) é qualquer nome ou símbolo utilizado para identificar uma empresa, um produto (bem de consumo), serviço ou comércio. As marcas registradas são um tipo de propriedade intelectual e sua efetividade depende do registro de exclusividade concedido por autoridades governamentais competentes, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI.

De modo geral, as marcas registradas são representadas por logotipos, palavras; quando usados separadamente ou de forma combinada, slogan ou palavras ligadas à atividade são impedidos ou geram limitação no uso da marca.

No Brasil, o instituto da Marca registrada é regulamentado pelo artigo 123, e seguintes, da Lei nº 9.279/96, a qual trata especificamente de marcas, patentes e desenhos industriais, além dos crimes cometidos contra as marcas e patentes, a exemplo da concorrência desleal.”

Hoje é um risco muito grande constituir uma empresa e não se resguardar com o devido registro da marca. Até mesmo porque é por meio dela que sua empresa é conhecida, se diferencia no mercado, a sua carteira de clientes e sua confiabilidade perante seus clientes é reconhecida. A simples ação de registrar a marca junto ao INPI ajuda a empresa a proteger um dos bens imateriais mais valiosos de seu negócio, lhe dá direito exclusivo sobre a marca e ainda impede que outras pessoas comercializem produtos ou serviços iguais ou semelhantes aos seus, a ponto de causar confusão entre os seus clientes.

 O registro de marca ainda traz as seguintes vantagens:

  • Garante exclusividade de sua utilização em todo o país
  • Impede a utilização de sinais idênticos ou semelhantes
  • Uma marca registrada pode ser vendida, licenciada ou franqueada e gerar receita
  • Não há o risco de ser obrigado a mudar a marca ou suspender a sua utilização
  • Fideliza a clientela ao servir de centro de referência e atração
  • Evita a concorrência desleal
  • Garante o retorno no investimento em propaganda e marketing
  • Permite a indenização se verificada a utilização indevida por terceiros
  • Agrega o valor da marca em seu capital social

O registro de marca, hoje em dia, tem valores variáveis, dependendo do tamanho da sua empresa. O processo envolve diversas ações burocráticas e pode demorar algum tempo para ser finalizado. Quando pronto, sua marca estará protegida por 10 anos, período que pode ser renovado com o pagamento de novas taxas.

Como realizar o registro da sua marca

A solicitação do registro de marca é um processo demorado e complexo. É necessário que se tenha plena consciência do que se quer e acompanhar as atualizações feitas no processo, por meio da RPI, para garantir que você não perca nenhum prazo.

Se estiver realizando a requisição do seu primeiro registro, sugiro que procure a ajuda profissional qualificada. Este cuidado pode evitar desgastes e possibilita que use seu tempo para se dedicar a outras tarefas.

No entanto, se for optar por fazer o registro por conta própria, sugiro que leia atentamente as recomendações do próprio INPI  e entenda todos os conceitos e regras, antecipadamente, a fim de garantir um bom resultado! E atenção: após a obtenção do registro é necessário imprimir os devidos cuidados para manutenção da sua marca.

Fonte: https://www.fgmarcas.com.br/a-importancia-do-registro-de-marca-para-empresas/

Se você não tomou o cuidado de registrar a sua marca, a exclusividade sobre o uso dela, você está em risco. Isto quer dizer que você pode, a qualquer momento, ver seus concorrentes reproduzindo ou imitando uma das coisas mais valiosas para a sua empresa, sem poder reivindicar nada.

Para evitar que isto aconteça, é fundamental promover o registro de marca, bem como, seu domínio na internet. Isto impede que outros façam uso do que é seu e lucrem em cima de seu trabalho e da sua reputação no mercado.

Escrito por:

 

CISBAF PARTICIPA DO ENCONTRO NACIONAL DE CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS

Marcelo Reis, Rosangela Bello e Carlos Eduardo levam experiência e trazem inovações para o Consórcio

Buscar inovações para a Saúde da Região da Baixada Fluminense. Este foi um dos principais objetivos da participação do Cisbaf – Consórcio Intermunicipal de Saúde da Baixada Fluminense no Encontro Nacional de Consórcios Intermunicipais, realizado no dia 06 de novembro, em Brasília. Para ampliar os conhecimentos específicos, o Consórcio levou uma equipe técnica formada pela Secretária Executiva, Rosangela Bello; pela Diretora Técnica, Márcia Cristina Ribeiro; pelo Diretor Administrativo e Financeiro, Carlos Eduardo Ribeiro; pela Coordenadora da Comissão Permanente de Licitação, Paula Porto; e pelo Coordenador do Controle Interno, Marcelo Reis.

Para Rosangela Bello, o encontro representa mais uma excelente oportunidade para debater os desafios do segmento e trocar experiências de sucesso. “O evento congrega consórcios intermunicipais de todo o país que atuam nas mais diferentes áreas, daí a riqueza da discussão e das propostas. É, sem dúvida, um espaço onde a gente leva a nossa bagagem acumulada de quase 20 anos atuando na saúde pública da região e traz ideias inovadoras, assim como fortalece as relações com as demais entidades”, comenta.

REALIDADE E ACEITAÇÃO

REALIDADE E ACEITAÇÃO

Você já se atreveu a questionar a realidade da vida humana? Já tentou questionar tudo aquilo que lhe ensinaram desde criança como a absoluta certeza sobre a vida, a morte e a vida após a morte? Pois aqui vai um pouco do meu pensamento sobre a jornada neste mundo, uma busca por uma verdade ou pelo menos a aceitação da realidade.

Durante a vida de todo ser humano chegamos aos questionamentos básicos como: Quem sou? De onde vim? Para onde vou?… Tais questionamentos são consequência da nossa própria evolução, que nos tornou criaturas curiosas e insaciáveis por encontrar uma resposta para tudo no mundo e, sim, é realmente angustiante não saber responder alguma coisa, ao ponto de que preferimos inventar uma resposta a não ter nenhuma resposta. E é justamente por causa desta necessidade de respostas que muitas vezes simplesmente aceitamos respostas prontas dadas a nós desde criança. Mas em algum momento da vida essas respostas não me pareciam muito coerentes com a forma que eu mesmo levava a vida e tratava os problemas. Questionar a realidade tornou-se uma possibilidade e com ela a percepção de que as coisas podem não ser como me foram ensinadas.

Entender a necessidade de prova e de teste pôs em cheque todos os meus conhecimentos sobre religião, crenças ou filosofias superficiais que nos levam à vida, logo tudo aquilo que acreditava parecia falso ou ao menos insuficiente. Num universo onde nada pode ser provado ou contestado, em um mundo onde nada é eterno ou, se é que existe com algum propósito, a ideia de morte e que a vida não tem sentido me vieram à mente.

Negação, no instante em que se percebe que suas “verdades” podem não ser verdades e perceber que seus maiores medos podem ser reais, a negação foi a minha reação mais natural. Se dizer que tudo isso é uma grande besteira, que é melhor acreditar nisso ou simplesmente negar que chegou a cogitar isso pode funcionar por um tempo, mas ao passo que sua mente já se abriu para a possibilidade da realidade pode ser diferente do que julgar que suas crenças ou filosofias seja um caminho sem volta. Essa discussão não se passa em um dia ou em um mês, é uma jornada de décadas até você vencer o medo e abrir os olhos para tal realidade, que pode ser assombrosa.

No tempo que sucede este conflito interno o desespero de não querer ver pode tomar conta de você e todas as frases prontas ouvidas a vida toda ficam se repetindo indefinidamente, querendo silenciar a possibilidade de existir algo diferente, afinal “o homem sem Deus é um animal” ou “na dúvida, é melhor fazer isso por que imagina se…” ou ainda “tem que existir algo além disso, se não nada faz sentido…” ou ainda “tem que existir algo se não a vida não tem sentido” mas precisa? – Opa não, não, não, não, é claro que existe algo além! É claro que existe! Eu acredito! Eu tenho fé! Eu tenho fé!…

Não. Não existem garantias, não existem provas, não existem certezas além das que você mesmo escolhe acreditar, mas perceber a incerteza da realidade e que na verdade nada pode ser ignorado ou descartado pode ser libertador.

Aceitação. Este é o ponto que poucos aceitam passar – para mim foram décadas – aceitar, que a realidade pode não ser o que pensamos ou o que desejamos, pode ser tão doloroso que viver na ignorância negando a realidade e se fechando numa caixa de certezas absolutas é o único caminho aceitável. Mas, entender que talvez não exista nada após a morte, não precisa ser algo desesperador, na verdade se permitir pensar sobre o assunto pode ser libertador.

Perceber a finidade do ser humano, suas limitações e sua mortalidade me faz entender o quão importante é estar vivo aqui e agora. Somente teremos esta oportunidade e esta é a certeza que tenho, todo o resto é possibilidade. Então, viver o aqui e o agora, fazer o bem, aproveitar a vida e ser feliz é algo muito mais importante do que ritos e tabus. Aceitar a morte não precisa ser algo triste ou desesperador, é simplesmente algo triste como o fim de um bom livro que temos ou nos despedir daqueles personagens que acompanhamos por tanto tempo e aprendemos a gostar. Alguém que cruzou nosso caminho, vimos cair, vimos chorar, vimos sorrir, por quem torcemos, por quem sofremos e nos orgulhamos. Cumpriu seu objetivo, venceu seus próprios desafios e, finalmente, como estar lendo a última página de seu livro, percebemos que esta história chegou ao fim.

Por Ronaldo C. Diniz

PELA VALORIZAÇÃO DO MÉDICO

Luiz Antonio Teixeira Jr.

O ingresso na faculdade de medicina é dos vestibulares mais difíceis que existem. Quem consegue ser aprovado para uma universidade pública, passa por um funil que chega a ter 115,2 candidatos por vaga, como no caso da Medicina na USP.

Quem não tem a sorte de estudar numa pública e opta pelas universidades privadas tem de arcar com mensalidades que muitas vezes chegam a dois dígitos. Tudo é caro na formação do médico. Dos livros ao jaleco; o tempo dedicado a intermináveis horas de estudo, a necessidade de se atualizar num mercado que não para de avançar; a participação em seminários, congressos: trata-se de um investimento enorme e uma dedicação que só aqueles que realmente têm amor pela medicina são capazes de suportar. Por outro lado, não há profissão mais gratificante, que tem o poder de curar, de salvar uma vida, de diminuir um sofrimento. Mas, ao contrário do que diz a propaganda, isso tem um preço.

No entanto, a cada dia que passa, o retorno desse investimento fica mais distante. A desatualização dos honorários médicos, tanto na saúde privada quanto pública, é uma realidade incontestável. A tabela SUS não é modernizada há décadas. Não apenas os valores estão defasados: procedimentos que nem existem mais, tão velhos que ficaram, continuam listados, enquanto outros que surgiram não estão relacionados. A residência médica, fundamental na formação prática de especialistas, está sendo esvaziada, a ponto de 30% das vagas estarem hoje ociosas.

A bolsa de um residente, por exemplo, é quatro vezes menor do que ganha um médico sem CRM, formado no exterior, contratado pelo programa “Mais Médicos”.  Por isso, apresentei dois projetos voltados ao fortalecimento da Residência. O primeiro iguala o valor da bolsa dos residentes aos salários pagos pelo Mais Médicos. O segundo propõe a transferência da Comissão Nacional de Residência Médica do Ministério da Educação para o Ministério da Saúde.

Outras ameaças à carreira são a teleconsulta, que vai contra toda a boa prática médica e visa a precarizar a relação médico-paciente; a proliferação de cursos de medicina sem qualificação pelo país e a expansão do número de médicos formados em países vizinhos que, sem o preparo necessário à função, vêm atuar em nosso país. Para eles, defendo um rígido exame de Revalida a cada seis meses, para que tenhamos médicos, ainda que formados no exterior, mas com a devida qualificação para atuar aqui.

Eu, como médico que sou, estou deputado. E, como tal, por conhecer profundamente o setor – onde trabalho como gestor privado há anos e onde tive a oportunidade de ser secretário municipal e de estado de Saúde – tenho dedicado parte do meu mandato para tentar ajudar a corrigir as enormes distorções que afetam hoje o exercício da medicina no Brasil. E elas são muitas.

Após uma discussão dura na Comissão Mista que discute a MP que trata do programa “Médicos pelo Brasil”, consegui aprovar uma emenda no relatório que será votado em plenário para que a gratificação dos médicos federais concursados seja equiparada com as das demais carreiras médicas de nível superior do Ministério da Saúde.

Não faço isso por espírito de corpo, mas por saber que a valorização do médico impacta positivamente no serviço que é prestado à população, na ponta. Porque, da mesma forma que a Saúde no Brasil tem que deixar de ser tratada pelo foco da doença – mas pelo da prevenção – os médicos devem ser vistos como agentes fundamentais na melhoria das condições de vida da população do nosso País.

DERMATITE ATÓPICA EM ADOLESCENTES ESTÁ ASSOCIADA A DEPRESSÃO E BULLYING

DERMATITE ATÓPICA EM ADOLESCENTES ESTÁ ASSOCIADA A DEPRESSÃO E BULLYING

Jovens perdem, em média, 26 dias de aula por ano devido às crises e sentem a autoconfiança abalada

Viver com dermatite atópica pode levar a um sofrimento que vai além do que se vê na pele. Em adolescentes, cuja estrutura psicológica ainda está em formação, estudos indicam que a doença está associada a quadros de depressão, bullying e ideação suicida, além de autoconfiança comprometida. Por isso, seguir com o tratamento adequado contínuo é essencial para se ter qualidade de

O que é dermatite atópica

De fato, a dermatite atópica (DA) não é contagiosa. Trata-se de uma doença crônica e genética caracterizada por pele seca, lesões que coçam muito e crostas. Nesta doença, o sistema imune reage de forma exagerada a qualquer fator externo alergênico, propiciando a coceira intensa e o aparecimento das lesões.

Além disso, há um defeito genético na estrutura da pele. As células que deveriam estar bem juntas, formando uma barreira protetora, estão mais espalhadas na DA, com uma camada frágil que permite a entrada de fatores prejudiciais.

“Uma pessoa pode sensibilizar por inúmeros fatores: ácaros, pele de animal, fungo, pólen, alimentos. Essa pele inflamada fica muito reativa e sensível a fatores irritantes e até roupa ou suor pode dar coceira .

Outros gatilhos para a crise são infecções e estresse.

A dermatite atópica é a mais comum das doenças crônicas da infância, sendo mais frequente nessa fase, mas pode aparecer em qualquer momento da vida. “Quanto mais grave, mais chance de persistir ao longo da vida.” O diagnóstico é clínico e se difere de outras doenças de pele pela apresentação típica.

Enquanto na dermatite atópica as lesões aparecem nas dobras internas de braços e pernas e há muito coceira, na psoríase, por exemplo, ocorrem mais placas nas dobras externas, como cotovelos, que não coçam muito. As formas graves são mais comuns em adolescentes e adultos, cujas lesões se generalizam pelo corpo, enquanto as leves predominam na infância.

Rinite, asma e alergia a alimentos ou fatores ambientais estão associados à DA

O fato de essas enfermidades fazerem parte do mesmo grupo genético explica a relação entre elas. pessoas com dermatite atópica têm 50% de chance de evoluir com asma, mas o risco só existe até a adolescência.

Impactos socioemocionais da dermatite atópica

A ausência escolar é um problema significativo na vida de adolescentes que convivem com dermatite atópica. Um estudo identificou que adolescentes entre 14 e 17 anos de idade têm, em média, 7,5 crises por ano e faltam à aula 3,5 dias em cada crise. No total, são pouco mais de 26 dias de aula perdidos no período.

Questões emocionais relacionadas à doença são ainda mais preocupantes. O mesmo estudo mostrou que quadros de depressão estão presentes em 52% desses jovens e 39% relatam ter sido vítimas de bullying por causa da DA em algum momento da vida. Durante as crises, metade deles se preocupa com serem vistos em público e 36% dizem que têm a autoconfiança abalada.

“É a fase mais difícil, fase de aceitação. Os casos moderados e graves mexem com a autoimagem, tem interferência no sono muito grande, e isso gera instabilidade emocional. O impacto é maior do que na fase adulta, porque a estrutura psicológica [do jovem] ainda não está bem formada e a autoestima é péssima”.

A questão emocional pode se tornar ainda mais complexa. Outro estudo feito com 3.775 pessoas entre 18 e 19 anos concluiu que 15,5% daquelas com eczema reportaram ideação suicida comparados com 9,1% dos que não tinham o problema de pele. Quando a doença estava associada à coceira, a ideação suicida estava presente em 23,8% dos jovens.

O acompanhamento psicológico profissional é essencial nesses adolescentes para que eles entendam e consigam lidar com todos os seus problemas além da doença.

Tratamento para dermatite atópica

O tratamento para DA se dirige a duas frentes: recuperação da pele e terapia medicamentosa para conter crises. A primeira deve ser feita diariamente, com banhos em água morna para não ressecar ainda mais a pele, menos sabonete possível e aplicação de cremes hidratantes. É preciso também afastar fatores desencadeantes das crises.

Já a terapia medicamentoso consiste no uso de cremes com ação anti-inflamatória, com ou sem corticoide, dependendo do tipo de lesão pois são muito  eficientes em casos leves da dermatite atópica e podem ser insuficientes para níveis moderados e graves. Nesses últimos, o que se costuma usar são imunossupressores, que controlam a inflamação, mas diminuem muito a resposta imunológica.

Atualmente, existe um imunobiológico que age no centro da inflamação,  e reduz os efeitos colaterais ou adversos.

“Tem duas moléculas que regem toda inflamação, as IL-4 e IL-13. Esse anticorpo bloqueia essas moléculas, que também agem na barreira da pele. Quando bloqueia, a própria pele se recupera”. Esse medicamento, do princípio ativo dupilumabe, foi aprovado pela agência reguladora dos Estados Unidos em 2017 e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no ano passado. Recentemente, o órgão aprovou a extensão do uso para o tratamento de pacientes a partir de 12 anos com dermatite atópica moderada a grave.

“A aprovação também para adolescentes é mais um passo para a melhora da qualidade de vida desses pacientes que sofrem com essa doença e apresentam sintomas por vezes debilitantes, como as erupções cutâneas e a coceira crônica”.

Escrito por Dr.ª Cynthia de Souza Meyrelles

PATRONATO – CENTRO SOCIAL SÃO VICENTE DE PAULA: COM A MISSÃO DE AJUDAR O PRÓXIMO

PATRONATO – CENTRO SOCIAL SÃO VICENTE DE PAULA: COM A MISSÃO DE AJUDAR O PRÓXIMO

A cidade está na contagem regressiva para receber a 26ª edição do Arraiá d’Ajuda, nos dias 7, 8 e 9 de junho, no Shopping Nova Iguaçu. A festa realizada pelo emblemático Patronato São Vicente de Paula tem toda a sua renda revertida para as ações sociais da Instituição. Ela acontece durante três dias apenas, mas é fruto de um incansável trabalho que dura o ano inteiro e que merece ser conhecido e prestigiado. Em especial pelos próprios moradores de Nova Iguaçu.

Com 60 anos de história, o Patronato foi criado originalmente como um orfanato, função que cumpriu por um bom tempo. Nos anos 2000 ficou fechado por seis meses para limpeza, organização e para receber um grupo que daria novo destino ao imóvel. Sob a liderança de Idalina Quintella Bottari, o Patronato renasceu como uma creche para a garotada de dois a cinco anos. Recomeçou com apenas 30. Hoje, lá dentro, são nada menos do que 294 crianças vindas de famílias de baixa renda assistidas pela Instituição. E, lá fora, uma interminável fila de espera para conseguir uma vaga.

A procura não é para menos. Das 7h30m às 17h30m, os pequenos têm contato com as letras, números, cores e ensinamentos dentro dos princípios educacionais baseados no referencial teórico pedagógico de Maria Montessori. Além disso, fazem quatro boas refeições por dia. No total, são 24.200 refeições servidas mensalmente aos pequenos. Tudo gratuitamente. Dona Idalina, como é carinhosamente chamada por todos, diz que se sente motivada a trabalhar para que as pessoas tenham orgulho de ter em nossa cidade uma casa como o Patronato, cuja missão é atender de uma maneira gentil e acolhedora as pessoas que estão numa situação menos favorecida no momento.

– Costumo dizer que ter menos condição financeira não torna ninguém melhor ou pior. É apenas uma experiência, uma maneira de viver que não o desqualifica. Nosso trabalho é levantar a autoestima dessas famílias, mostrar a elas que podem atingir seus objetivos com dignidade, encorpar essas famílias, fazendo-as se engrandecerem e tomar posse de suas vidas. Aí sim você as coloca na sociedade – explica a Presidente da Instituição, que questiona ainda o valor que se dá ao dinheiro quando este não tem um objetivo. – Afinal, dinheiro serve pra quê? Na minha opinião, ele só tem valor quando utilizado de uma maneira boa, fazendo você e os outros ao seu redor felizes. A gente só consegue ser feliz à medida que os outros também são.

Do alto de seus 72 anos – muito bem vividos, como faz questão de ressaltar – dona Idalina reforça a importância do fortalecimento do núcleo familiar. Por isto mesmo, faz questão de que as famílias participem intensamente das atividades realizadas pela Instituição junto às crianças. Para ela, dos dois aos cinco anos, idade abraçada pelo Patronato, a tarefa de educação e de valores pertence aos pais.

– Estamos aqui somente para ajudar, não para fazer o trabalho pelas famílias. Digo sempre que somos apenas secretárias delas, mas o trabalho maior é delas – explica ela, que cita o exemplo da Escola de Pais. – Temos dez reuniões anuais com rodas de conversas e palestras temáticas, e o comparecimento dos responsáveis é condição indispensável para a matrícula do próximo ano. Aceitamos, no máximo, três faltas justificadas.

Idalina lembra de outro programa que funcionou muito bem e fez sucesso entre as famílias. A creche convidou as mães a irem até o local para contar histórias infantis na biblioteca para seus filhos. Na verdade, não passou de mais uma forma de integrá-las ao processo de aprendizagem de seus filhos e acompanhar de perto seu desenvolvimento. O sucesso foi tremendo.

– As mães se empolgavam tanto que até se vestiam dos personagens das historinhas. As crianças amaram. Este ano, no segundo semestre, teremos novamente o projeto. Acredito que, para ser bem sucedido, um projeto como este tem que ter princípio, meio e fim. Planejamento, execução e avaliação. O que é para sempre não motiva, não gera uma expectativa.

A creche é o principal pilar da Organização. Para pleitear uma vaga os pais precisam ser moradores da cidade, provar que estão trabalhando e ter uma renda de até dois salários mínimos. Para sustentar toda esta estrutura, o Patronato sobrevive com subsídios da Prefeitura, doações espontâneas de voluntários e eventos pontuais, como o Arraiá d’Ajuda. A Diretora adjunta Lene Souza aponta outras formas de geração de renda que vêm sendo testadas no local.

– Temos o aluguel dos espaços, por exemplo, como o auditório, com capacidade para 200 pessoas, e o salão de festas, que comporta até 300. Muitos não sabem, mas temos um restaurante maravilhoso que funciona de quarta a sexta, com comida de alta qualidade num ambiente familiar, reservado e com estacionamento. O valor é R$ 49,90 o quilo ou R$ 35 para quem quer comer à vontade, com direito a uma sobremesa. Quem vem uma vez sempre volta – diz ela, destacando a imperdível feijoada servida no local todas as sextas-feiras.

Outra fonte de renda são os cursos profissionalizantes, para maiores de 18 anos, oferecidos anualmente pela Instituição, como de cabeleireiro, manicure, panificação, massoterapia, entre outros. Agora, todas as atenções e esforços estão voltados para o Arraiá d’Ajuda, que é uma das grandes formas de captação de verbas obtidas por meio das barraquinhas que são montadas no local e cuja renda total é revertida para as ações do Patronato. Este é o terceiro ano que a festa solidária acontece no shopping.

– Na festa em si sempre vai mais gente do que prevemos. No primeiro ano não esperávamos tamanha procura, a cidade deu um nó. O estacionamento do shopping contabilizou 165 mil pessoas nos três espaços. Ano passado, foram 120 mil. Para este ano já fizemos reuniões com a Prefeitura e com o shopping para minimizar ao máximo os impactos no trânsito – explica Lene.

Com entrada gratuita, o Arraiá d’Ajuda tem várias atrações para toda a família, com comidas e bebidas típicas, correio do amor, quadrilha, recreação infantil e apresentações musicais. Médicos, engenheiros, donas de casa, advogados, comerciários… Nos três dias de eventos todos são voluntários nessa grande corrente de solidariedade. Na opinião da Diretora, participar do evento é uma maneira de conhecer um pouco mais sobre a Organização e sua importância para a cidade e para as famílias atendidas.

– Como poucas instituições esta é muito séria, com envolvimento de muitas pessoas que se dedicam de corpo e alma. A gente precisa de dinheiro, é claro, mas o nosso maior patrimônio são aqueles que fazem tudo isso acontecer. Eu não conheço creche particular que tenha tudo o que tem aqui dentro. Bato palmas, em especial, para dona Idalina, que é ligada no 220, comandando tudo com muita força, amor e dedicação. Convido todos a conhecerem melhor o Patronato. Posso garantir que quem conhece a proposta se apaixona.

O Arraiá d’Ajuda acontece na sexta, dia 7 de junho, a partir das 18h; sábado, a partir das 15h, e, domingo, a partir de meio-dia.

Conta para doação

Banco Santander (033)
Agência 3217
Conta corrente 13000456-0
Sociedade Filantrópica São Vicente
CNPJ 28718369/0001-53

Contato e outras informações:

(21) 2669-5867
contato@patronato.org.br