Nosso Século é chamado por muitos como a Era do Conhecimento, que para nós do mundo Corporativo o conhecimento é tão importante quanto o capital financeiro da Empresa, pois é seu Capital Intelectual.

Este intangível, posso AFIRMAR que é o maior diferencial competitivo, agrega valor com baixo custo, quanto comparado a outras modalidades empregadas para se agregar valor a serviços e produtos.

Os Gestores ditos tradicionais do Século passado, respeitando e reconhecendo suas contribuições e resultados talvez pouco tenham a contribuir se não com sua visão e experiência nos dias de hoje.

Eu diria que hoje um Gestor centralizador, enérgico, que vive apenas a dar ordens, controlador, impaciente, afoito e distante de sua equipe, além de não ter lugar nas Corporações nos dias de hoje é obsoleto.

Atenção que isso não quer dizer que o Gestor não deva ter, olha ele aí de novo, o conhecimento, dos Processos diversos, não ter pulso forte nas turbulências etc. Gestores que detém o poder, temidos e que geram medo tornaram-se jurássicos. Chavões do passado hoje estão fora de moda.

A fase atual é aquela em que o aprendizado organizacional, onde as Instituições se preparam não apenas para aprender, mas para multiplicar e estimular nas Equipes este desejo e tornar realidade o aprendizado.

Hoje este aprendizado deve dar-se em todos os níveis hierárquicos das Instituições, quer Direção, Administração e Operacionais.

É aí que o Gestor deve passar a ser LÍDER, perceberam quanto escrevi e somente agora abordei o Gestor – Líder.

É importante salientar que Gestores, Líderes devem mais do que Gerir e Liderar, devem dar EXEMPLO!!!

Somente através deste exemplo é que seus Colaboradores e Liderados vão sentir- -se estimulados a aprender, executar e estimular outros a assim fazerem.

Todos os seres humanos são movidos pela vontade de aprender, talvez a curiosidade ou o interesse em aprender coisas novas, sejam os maiores aliados do Gestor Líder nesta tarefa.

O Gestor Líder deve usar de todas as ferramentas possíveis para estimular e propiciar todas as condições necessárias para o aprendizado e a execução do que se aprendeu.

Todo conhecimento se não for aplicado e partilhado nada tem a contribuir, pelo contrario.

Esta árdua tarefa vai trazer um ganho intangível as Instituições, por um fator interessante; o crescimento pessoal, o sentimento de ser valorizado e importante e fará com que os Colaboradores, no jargão popular, vistam a camisa.

Motivação é algo pessoal, ninguém motiva ninguém, motivação é uma força individual que necessita apenas ser despertada dentro de cada um de nós. E esse é o trabalho do Líder Gestor.

Percebem a inversão, agora Liderar passa a ser a principal atividade do Gestor. Nós que nos colocamos na posição de

líderes, não que o sejamos, temos que estimular nas pessoas essa visão de futuro para si mesmas, devem ser estimuladas a crescer, a enxergar que podem ter e ser, assim ás Instituições crescem.

O Mário Sérgio Cortella fala nisso quando descreve felicidade pessoal.

É isso que gera a tensão criativa, é essa força intrínseca que faz as pessoas agirem, saírem de sua zona de conforto e contribuírem não apenas para o crescimento e melhoria das Instituições, mas de si mesmas.

Hoje a sobrevivência das organizações depende da capacidade de perceber e se adaptar às mudanças do meio e concomitantemente valorizar a capacidade de aprender das pessoas e entender a sistemática dos problemas.

Na verdade o Gestor Líder deve ser visionário e antever se, deve estudar e estimular os colaboradores a estudar para constantemente estarem criando, inovando e reparando, a fim de obter a tão almejada Qualidade, Produtividade e é claro lucratividade.

Atualmente o melhor diferencial competitivo é alcançado através do engajamento das pessoas, pessoas estas que devem desenvolver suas competências e alinhar as mesmas a estratégia organizacional para assim se obter vantagem competitiva.

Alguns autores destacam habilidades hoje importantes ao no Gestor Líder, são elas:

Projetista, distribui tarefas e mostra os objetivos de cada tarefa de acordo com a necessidade do cliente, organiza a equipe dando propósitos e valores, definindo estratégias de forma a viabilizar as ideias e cria o ambiente para o crescimento de todos.

Professor, é o mentor da equipe que compartilha o conhecimento, estimula o questionamento de forma a voltarem-se para um novo olhar da realidade e avalia novas possibilidades.

Regente, vai atuar de forma Líder Servidor, sim como aquele do James Hunter. Irá colocar se a serviço da equipe de forma completa, auxilia a transpor barreiras e o desenvolvimento de todos.

Difícil tarefa e demanda não apenas tempo, mas humildade e compromisso e uma renovação diária através da avaliação continua nãos apenas dos resultados.

É um caminho sem volta, mas com certeza trará um sentimento de realização pessoal e profissional; pois certamente conquistará pessoas e terá sucesso na Gestão.

Então vamos começar, este é o caminho para nossos Laboratórios suportarem a atual pressão!