O assunto da moda é fazer o treinamento HIIT, essa sigla significa “High Intensity Interval Training”, traduzindo, “Treinamento Intervalado de Alta Intensidade”. Isso é nada mais do que executar exercícios de alta intensidade durante um curto espaço de tempo, seguido de um período de descanso, e repetindo o estímulo em seguida. Isto que acabei de falar é uma curta explicação, mas por trás desse treinamento há muita ciência envolvida, a qual irei tentar desmembrar a seguir.

É sabido entre os profissionais da área da saúde que trabalham com emagrecimento, que o oxigênio (O2) tem um papel importantíssimo no processo de emagrecimento; sem o O2 presente na corrente sanguínea seria quase impossível emagrecer. Era por isso que antigamente, a quem desejava emagrecer, recomendava-se que fizesse exercícios longos, com intuito de que, durante o exercício, ela colocasse mais O2 para dentro do corpo; e, com mais O2 no corpo, aceleraria a queima de gordura.

Este raciocínio não está errado, só que com os avanços dos estudos na área, verificou-se que o mais importante, do que o consumo de oxigênio durante o exercício, é o consumo do mesmo no “pós-exercício”. Esse fenômeno chama se EPOC (Excess post exercise oxygen consumption) traduzindo “excesso de consumo de oxigênio pós-exercício”. Pesquisadores concluíram que a atividade de baixa intensidade, por longo período de tempo, tem um pico de depleção das células adiposas somente durante o exercício e que, ao término da atividade, não havia mais queima de gordura. Já com o HIIT acontece o oposto, durante a atividade você queima menos gordura do que na atividade aeróbica, mas quando se conclui essa atividade o seu corpo entra num processo de assimilação do esforço praticado, o qual supera a queima de gordura de quem praticou a atividade longa de baixa intensidade. Ou seja, você irá queimar gordura durante o descanso.

Então por que é interessante praticar o HIIT:

Menor tempo de atividade do que o aeróbico convencional;

Maior consumo de oxigênio durante o repouso (EPOC), logo uma queima de gordura maior;

Mais dinâmico do que o monótono treino contínuo;

Pode se ser praticado em diversas modalidades;

O único ponto que deve ser observado antes de se praticar o HIIT é consultar um médico cardiologista, a fim de saber das condições do seu coração; e, um profissional de Educação Física, para prescrever de forma pedagógica um treino personalizado as suas reais condições