O tratamento a ser indicado nos tumores musculoesqueléticos é dependente da agressividade do tumor. A aferição dessa agressividade, que retrata a malignidade do tumor, é feita pela classificação de Enneking.

radio

Os tumores musculoesqueléticos podem ter diversas origens celulares. Podem ser de células formadoras de tecido ósseo, propriamente dito; de células formadoras de tecido cartilaginoso; de células que não compõem a matriz óssea primária, como o tumor de células gigantes (TCG); de células hematogênicas, vasculares, do tecido fibroso, gorduroso ou neural. Ainda existem os tumores de natureza neoplásica indefinida e as metástases ósseas de tumor primário de outros órgãos.

A origem celular do tumor musculoesquelético não define sua agressividade. A benignidade/malignidade é aferida pela avaliação de três itens: Grau histológico (G), Localização anatômica (T) e Presença ou ausência de metástases (M).

GRAU HISTOLÓGICO (G):

Tumor Benigno (G-0): Sem atipias celulares, alterações do núcleo das células e nem divisão de células.

Baixo Grau de Malignidade (G-1): São tumores malignos bem diferenciados, com pouca mitose, poucas ou nenhuma célula atípica, mínima ou nenhuma necrose, sem invasão vascular.

Alto Grau de Malignidade (G-2): São lesões indiferenciadas que apresentam mitoses frequentes, alto número de células atípicas, necrose, matriz imatura e embolização vascular.

LOCALIZAÇÃO ANATÔMICA (T):

Intracapsular (T-0): As cápsulas são barreiras frágeis, ainda assim respeitadas.

Extracapsular, Intracompartimental (T-1): São aqueles que ultrapassam as cápsulas, mas respeitam as barreiras anatômicas mais firmes e permanecem restritos ao interior de um osso, de uma articulação, de um grupo muscular envolvido por uma fáscia, entre a pele e a fáscia profunda, em um compartimento de coxa, perna, antebraço etc.

Extracapsular, Extracompartimental (T-2): São aqueles que não respeitam as barreiras anatômicas e invadem os tecidos vizinhos. Rompem a cortical óssea, invadem a cápsula de uma articulação, destroem a fáscia muscular etc.

METÁSTASES (M):

Sem Metástases (M-0): Tumor restrito ao sitio primário

Com Metástases (M-1): Tumor com implante secundário à distância

Os tumores musculoesqueléticos são classificados dentro de um gradiente de agressividade, não existindo um divisor nítido entre a benignidade e a malignidade. O Tumor de Células Gigantes, por exemplo, transita no boarder line, sendo classificado como um benigno localmente agressivo. A classificação de Enneking, conjugando G-T-M, auxilia na indicação terapêutica, contemplando o gradiente de agressividade dos tumores. São classificados como:

BENIGNOS:

  • Benigno Latente (B1) G-0 T-0 M-0
  • Benigno Ativo (B2) G-0 T-0 M-0
  • Benigno Agressivo (B3) G-0 T-1/2 M-0/1

MALIGNOS:

  • Maligno de Baixo Grau (I)
    • Intracompartimental (I-A) G-1 T-1 M-0
    • Extracompartimental (I-B) G-1 T-2 M-0
  • Maligno de Alto Grau (II)
    • Intracompatimental (II-A) G-2 T-1 M-0
    • Extracompartimental (II-B G-2 T-2 M-0
  • Maligno de Baixo ou Alto Grau com Metástases (III)
    • Intracompartimental (III-A) G-1/2 T-1 M-1
    • Extracompartimental (III-B) G-1/2 T-2 M-1

luma-duarte-barbosa