A lipoaspiração e a prótese de silicone nos seios ainda são os procedimentos mais procurados nas clínicas de cirurgia plástica no Brasil, mas uma nova tendência de cirurgia vem ganhando espaço nos consultórios, entre mulheres na faixa dos 25 aos 40 anos.

Ainda pouco conhecida no Brasil, a bichectomia (matéria de reportagem no programa “Fantástico”), procedimento realizado para a retirada da chamada bola de bichat, um acúmulo de gordura na região das bochechas que, em alguns casos, dá um aspecto arredondado na face. Nos EUA, a cirurgia é feita há 40 anos. Portanto, já bem conhecida, não se tratando de um novo procedimento.

As bochechas volumosas podem ser de origem genética, assim como a das bolsas de gordura que se formam embaixo dos olhos. Depois da cirurgia a pessoa fica com o rosto mais fino e tem a sensação visual de que está mais magra ou menos infantil.

Embora pareça simples, o procedimento ainda é controverso entre os cirurgiões. Enquanto uns são favoráveis, outros são radicalmente contra. Profissionais contrários ao procedimento dizem que a retirada da bola de bichat pode fazer falta no futuro, durante o processo de envelhecimento.

O Lifting de face, realizado com a reabilitação dentária, tem demonstrado que os efeitos estéticos são consistentes, naturais e duradouros. Atentando-se que sua indicação teve início nas patologias dolorosas das disfunções articulares da mandíbula; e não pela sugestão do mestre Dr. Ivo Pitanguy, apresentada no Congresso de Cirurgia Plástica (em Belo Horizonte – 1995), para que antes da intervenção plástica o paciente fosse assistido por um dentista.

A bola de bichat fica entre dois músculos da face e serve para facilitar a contração deles. Mas os médicos que defendem o procedimento afirmam que apenas o excesso de gordura é retirado durante o procedimento, não causando prejuízos funcionais ou anatômicos. Outrossim, não há motivo que impeça uma avaliação odontológica, diagnosticando a causa do aumento de volume e se este não poderia ser resolvido com uma reabilitação oclusal, repondo a DVO.

Um procedimento polêmico, defendido por cirurgiões que já o realizam. As dúvidas em razão da afirmação anterior são preocupantes. Assim foram feitas muitas extrações com finalidades estéticas, em modelos na Europa, que retiravam os dentes pré-molares para obter o efeito na bochecha, muita vezes retirando só os da maxila, visando a um maior impacto visual.

antes-depois

Na odontologia, as análises de traçados cefalométricos são importantes ou determinantes para o planejamento de como intervir no posicionamento das arcadas e dentes, as intercorrências funcionais interdentárias, as quais são responsáveis pela manutenção ou pela perda de harmonia e simetria da face, bem como pelas alterações nas articulações temporomandibulares, levando muitos pacientes em busca de tratamento para suas disfunções da ATM.

O Lifting de face, realizado com a reabilitação dentária, tem demonstrado que os efeitos estéticos são consistentes, naturais e duradouros. Atentando-se, que sua indicação teve início nas patologias dolorosas das disfunções articulares da mandíbula; e não pela sugestão do mestre Dr. Ivo Pitanguy, apresentada no Congresso de Cirurgia Plástica (em Belo Horizonte – 1995), para que antes da intervenção plástica o paciente fosse assistido por um dentista.

Rua Dr. Thibau nº 80 sala 807 Centro Empresarial
Vianense, centro da Cidade de Nova Iguaçu.
Consultas pelo telefone, ligando para: (21) 26672295
Dr. JurandLima Filho
Email: reabilitandoavida@gmail.com

jurandir-lima-filho